sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O tempo do Autoencontro - A necessidade e o papel do deserto em nossas vidas - ROSSANDRO KLINJEY

SINOPSE: Quem em sã consciência convida alguém para uma incursão ao deserto?
E quem se arrisca a tal aventura? E se o smartphone falhar? E se não encontrar um fast food? E se o shopping center mais próximo estiver a milhares de quilômetros? Ficar sem rede social? Jamais!

O convite não é do autor. Ele apenas o aceitou e compartilha suas experiências e o crescimento que elas proporcionam. Muitos, antes dele, aceitaram este convite: João Batista, Jesus, Paulo de Tarso, Buda, Krishna e milhares de anônimos.

Agora é a sua vez. Permita-se este emocionante autoencontro!
===============================

"O deserto passa, mas Deus fica"! Assim, com esta dedicatória em meu livro, Rossandro nos convida a entrarmos em nosso deserto para o encontro com Ele, Deus, Nosso Pai e Criador! Rossandro nos conduz a essa jornada, onde ao longo do caminho encontraremos a centelha de Deus em nós, que está inscrita em nossa consciência, e é um convite ao despertar.
Não conseguimos caminhar apenas com nossas forças. Acreditar que somos autossuficientes nos torna arrogantes e orgulhosos e gera o egoísmo. Ao contrário do que acreditamos, essas atitudes nos minam as forças uma a uma ao invés de nos nutrir. E aí entra o convite ao deserto, porque nele, sem forças, sem nada, encontramos a presença inexprimível de Deus. Essa presença se encontra em nós, como uma centelha inscrita em nossa consciência, nos convidando ao despertar. Nós, humanos, somos como as marés, avançamos e recuamos por necessidade básica de evolução.
Rossandro nos alerta: "Lá, no deserto, jamais estivemos sós. Entrando conosco, desde o primeiro passo que damos na areia escaldante até a hora em que desfalecemos pela ausência de tudo e de todos, finalmente encontramos Aquele que tudo preenche e dá significado à vida: Deus!"
Podemos estar no deserto de um luto, de uma depressão, de uma decepção amorosa. São várias as formas de o deserto se apresentar a nós.
Este livro nos traz fortes reflexões. Entrar no deserto é ter a coragem de sair da rotina louca de nosso dia-a-dia, de se permitir o tempo a sós consigo e com o divino. Entender o ser que somos constituídos, com toda a nossa integralidade, desde o princípio quando fomos criados por Deus!
É entender nossa busca de evolução, nossa busca de aperfeiçoamento e  entender o que nos move com nossas emoções, sentimentos, sonhos e desejos.
Enfim, estar no deserto para sair dele mais fortalecido e mais confiante. E esse processo é contínuo. Precisamos entrar e sair várias vezes no deserto ao longo de nossa jornada.
É se permitir ficar a sós com nosso Eu mais profundo e abraçá-lo, compreendê-lo e aceitá-lo.
Um livro para ser lido várias vezes porque nos impulsiona para o autoconhecimento e a auto iluminação.
Valéria Knopp




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O tempo do Autoencontro - A necessidade e o papel do deserto em nossas vidas - ROSSANDRO KLINJEY

SINOPSE: Quem em sã consciência convida alguém para uma incursão ao deserto? E quem se arrisca a tal aventura? E se o smartphone ...