quarta-feira, 2 de maio de 2012

04 - Crônicas de Além Túmulo - Humberto de Campos (1937)


Humberto de Campos, novamente nos traz lindas mensagens com seu cunho jornalístico. Neste início do trabalho de psicografia de Chico Xavier, encontramos nestas primeiras obras, mensagens que constituem provas da existência da alma após a morte e da comunicação entre "vivos" e "mortos". Como ele expressa: "Encontrei, nesse "outro mundo", a minha própria bagagem. Meus pensamentos, minhas obras, frutos dos meus labores, da minha regeneração no sofrimento. Sem estar na beatitude do Céu, não conheço igualmente a topografia do inferno."
Podemos observar todo o esforço despendido para que a Doutrina fosse clareando os horizontes da pátria do Evangelho em momento tão turbulento, década de 30 e 40, onde a guerra era uma certeza e a colheita da humanidade seria de lágrimas.
Humberto nos apresenta novas mensagens, outras já constantes em outras obras já resenhadas aqui, mas sempre com o mesmo cunho investigativo e esclarecedor tão particularmente seu! Ele mostra o seu encontro com o apóstolo Pedro, sua visita a Jerusalém e seu contro com Judas Iscariotes, sua conversa com nosso inconfidente Tiradentes e com Sócrates.
É muito gratificante observar essa primeira romagem da Doutrina Espírita, com as suas primeiras passadas pela literatura, desabrochando horizontes e abrindo novas estradas para a iluminação terrena da alma.
Uma boa leitura para quem quer se inteirar dos primeiros passos e de quanta luta se despendeu para que hoje, possamos desfrutar de tantas obras psicografadas para a divulgação do Consolador Prometido. (Valéria Knopp)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O tempo do Autoencontro - A necessidade e o papel do deserto em nossas vidas - ROSSANDRO KLINJEY

SINOPSE: Quem em sã consciência convida alguém para uma incursão ao deserto? E quem se arrisca a tal aventura? E se o smartphone ...